quarta-feira, 13 de junho de 2012


- Diário de Natal: Trânsito a cada dia mais violento
Idoso foi morto ao atravessar a avenida João Medeiros Filho, próximo ao complexo viário, que tem um túnel, mas poucos sabem da sua existência

- Tribuna do Norte: Casal que matou mãe e filha contou com a ajuda de outra pessoa
Ao fazer a reconstituição do assassinato de Olga Cruz de Oliveira Lima, 61 anos, e Tatiana Cristina Cruz de Oliveira, 36 anos, mãe e filha torturadas e mortas pelo jardineiro João Batista Caetano Alves e a mulher dele, Marlene Eugênio Gomes, a polícia teve confirmada a suspeita que o casal contou com a ajuda de uma terceira pessoa na cena do crime.

- Novo Jornal: “Liseu” de Carla traz acareação do STJ para Natal
Ex-diretora da Divisão dos Precatórios, acusada de desviar R$ 14 milhões, alega não ter dinheiro para viajar a Brasília e acareação muda para Natal

- De Fato: Crise: Reitoria cogita cancelamento do semestre na UERN (Mossoró)
Reitor da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, Milton Marques, disse que semestre 2012.1 pode ser cancelado caso as aulas não sejam retomadas até o dia 01 de julho

- O Globo: FMI recomenda taxação para empresas poluidoras
A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, recomendou ontem que os países tributem empresas que poluem o meio ambiente e reduzam subsídios para quem usa, por exemplo, carvão. Com esse dinheiro, seria possível financiar programas de desenvolvimento sustentável. A proposta do FMI soa inovadora porque contraria o receituário liberal do Fundo. Os técnicos do FMI calculam que, nos EUA, uma taxação de US$ 25 por tonelada de carbono emitida resultaria em apenas US$ 0,22 a mais no galão da gasolina e levantaria US$ 1 trilhão em dez anos. Já a taxação de emissões da aviação renderia US$ 25 bilhões para atenuar os efeitos das mudanças climáticas nas nações em desenvolvimento. Dos 200 parágrafos do documento final da conferência, dois terços permanecem em aberto e serão discutidos por negociadores a partir de hoje

- Folha de S. Paulo: Efeito da crise deve durar mais dois anos, prevê BC
Os efeitos da crise externa vão perdurar por até mais dois anos na economia global, disse o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Em comissão do Senado, ele afirmou que o “crescimento será mais baixo do que se esperava”. Foi a primeira vez que Tombini foi específico sobre a duração dos impactos da turbulência. Ele afirmou que a crise reduz a pressão inflacionária na economia brasileira e disse que a alta dos preços deve fechar o ano em torno da meta de 4,5%.

- O Estado de S. Paulo: Brasil abre Rio+20 hoje e quer manter conquistas da Eco-92
A Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, começa hoje com o Brasil disposto a não retroceder em pontos conquistados na Eco-92, a reunião realizada no Rio há 20 anos. Em especial, exemplificou o chanceler Antonio Patriota, ter o ser humano como o centro e manter o princípio das responsabilidades comuns, mas diferenciadas - ou seja, todos têm compromisso com as mudanças, mas os ricos têm mais, porque contribuíram mais com a degradação do planeta. Até ontem, havia confirmação da vinda de delegados de 186 dos 193 membros da ONU - os EUA serão representados pela secretária de Estado, Hillary Clinton.

- Correio Braziliense: Perillo escapa. Hoje CPI vai ouvir Agnelo
No anunciado embate com o PT, na CPI do Cachoeira, o governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo, passou pelo teste de fogo, que durou nada menos que oito horas. Mas a novela da venda da casa — onde morava o bicheiro quando foi preso pela PF em Goiânia — ainda deve render novos capítulos. Hoje, quem vai enfrentar a maratona de perguntas na CPI será o governador do DF, o petista Agnelo Queiroz.

- Valor Econômico: Indústrias químicas e de autopeças terão incentivo
O governo deve anunciar nas próximas semanas um conjunto de estímulos à indústria química e um programa de incentivo aos fabricantes de autopeças. As medidas estão sendo finalizadas pelos ministérios da Fazenda, Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia e serão submetidas à presidente Dilma Rousseff. Heloísa Menezes, secretária de Desenvolvimento da Produção do Ministério do Desenvolvimento, diz que a ideia é conceder estímulos tributários e de crédito aos setores em troca de investimentos em inovação e maior utilização de conteúdo nacional.

- Estado de Minas: Agora ou nunca
Dilma anuncia R$ 1,5 bi para o Anel, R$ 4 bi para a BR-381 e R$ 500 mi para o Rodoanel. Que, enfim, as cifras saiam do papel.

- Jornal do Commercio: Eduardo ignora o PT e toma rédeas da sucessão (Pernambuco)
Governador chamou para si o comando das articulações no Recife. Mesmo sem bater o martelo, ele não descartou candidatura do PSB e costura apoio de João da Costa. Humberto foi recebido por Lula, de quem recebeu promessa de engajamento.

- Zero Hora: Nova estatal não encerra polêmica dos pedágios (Rio Grande do Sul)
Por 31 votos a nove, deputados aprovam projeto que cria a EGR para gerenciar pedágios públicos, mas governo admite novas concessões e parcerias com o setor privado.

Comente!

Mais lidos da semana

Siga este blog

Arquivo

Tecnologia do Blogger.

- Copyright © 2013 Rodrigo Medeiros -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan | Distributed by Rocking Templates -