segunda-feira, 4 de junho de 2012

Formação de quadrilha e corrupção eleitoral. Segundo a Promotoria da 35 ª Zona Eleitoral, em Apodi, estes crimes foram cometidos por Haroldo Ferreira de Morais (foto), pré-candidato à prefeito de Felipe Guerra, por Luiz Agnaldo de Souza, Otoniel Maia de Oliveira e pelo ex-presidente da colônia de pescadores Z-63 Lidiano Bezerra da Nóbrega.

As acusações remetem às eleições municipais de 2008, quando, segundo a Promotoria, houve uso eleitoreiro do programa Cheque-Reforma. A denúncia foi recebida em 22 de maio pela Justiça Eleitoral de Apodi. A ação penal foi ajuizada em 2009, pelo MP Eleitoral.

Segundo o inquérito da Polícia Federal, entre junho e julho de 2008, os três políticos denunciados, que eram candidatos a cargos eletivos em Felipe Guerra, ofereceram e proporcionaram a diversos eleitores acesso facilitado ao Cheque-Reforma para captar votos. Para tanto, teriam contado com o auxílio de Lidiano Bezerra da Nóbrega, então presidente da colônia de pescadores Z-63, credenciada pelo Governo do Estado para realizar o cadastramento no programa.

A investigação policial revelou que pelo menos 30 pessoas tiveram o cadastramento no programa social realizado por intermédio dos três então candidatos.

“Tais casos devem ser tomados como exemplificativos de uma prática criminosa que certamente resultou no cadastramento de muito mais pessoas, pois a investigação dá conta de que 100 pessoas foram cadastradas em 2008 para receber o benefício, que somente não foi efetivamente concedido em virtude da suspensão do programa decorrente de ordem judicial, justamente em razão da utilização eleitoreira”, afirmou o promotor eleitoral Antônio Cláudio Linhares Araújo.

Comente!

Mais lidos da semana

Siga este blog

Arquivo

Tecnologia do Blogger.

- Copyright © 2013 Rodrigo Medeiros -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan | Distributed by Rocking Templates -