terça-feira, 24 de julho de 2012


- Diário de Natal: Prefeitura admite que obras não ficam prontas para copa
(O secretário da Secopa, Jean Valério, admitiu que as obras de mobilidade sob o encargo da prefeitura podem ser excluídas da matriz de responsabilidades do mundial pela impossibilidade de serem executadas até a Copa do Mundo de 2014)

- Tribuna do Norte: TJRN paga acima do teto de R$ 26,7 mil a 141 servidores
(A lista dos salários pagos em junho aos servidores do Judiciário, disponibilizada pelo TJRN, no último fim de semana, mostra pelo menos 141 registros de vencimentos acima do teto constitucional)

- Novo Jornal: Gigante da hotelaria mundial quer vaguinha na Costeira
(MGM, maior grupo hoteleiro do mundo, quer erguer hotel na orla de Natal e outro no litoral norte. Representantes chegam amanhã para reunião com governo)

- De Fato: Magistrados do TJ recebem bem acima do teto (Mossoró)

- O Globo: Ditadura síria ameaça usar armas químicas
(Pela primeira vez, o regime sírio admitiu ter armas químicas e ameaçou ontem usá-las em caso de uma intervenção estrangeira no país. “Quaisquer estoques de armas químicas que possam existir jamais serão usados contra o povo sírio. Em caso de uma agressão externa, os generais vão decidir quando e como usá-las”, afirmou o porta-voz da chancelaria síria, Jihad Makdissi. O presidente dos EUA, Barack Obama, condenou a ameaça e disse que o regime será responsabilizado se cometer “o terrível erro de usar essas armas”. Diante das reações negativas, o ministro da Informação sírio, Omran al-Zoubi, negou que o país possua armas não convencionais e alegou que as palavras do porta-voz foram mal interpretadas)

- Folha de São Paulo: Síria ameaça usar arma química, e EUA reagem
(Ditadura admite revidar agressão externa; Obama diz que seria ‘trágico erro’)

- O Estado de São Paulo: País vai julgar Supremo por mensalão, diz corregedora
(A ministra Eliana Calmon, corregedora nacional da Justiça, afirmou ontem que o Supremo Tribunal Federal (STF) será julgado pela opinião pública ao julgar o processo do mensalão, maior escândalo da era Lula. “Há por parte da Nação uma expectativa muito grande e acho também que o Supremo está tendo o seu grande julgamento ao julgar o mensalão”, disse. Indagada se a pressão pública poderá influenciar nos veredictos, disse: “O Supremo não se deixa muito influenciar pela opinião popular, sempre se manteve meio afastado. Mas começamos a verificar que, efetivamente, já não é com aquela frieza do passado)

- Correio Braziliense: Punição à TIM abre crise com a Itália
(Impedidos pela Anatel de serem vendidos durante 30 dias, chips da TIM, Claro e da Oi estão sendo comercializados no Distrito Federal e em diversos Estados. No entanto, quem comprou os dispositivos dificilmente conseguirá habilitá-los. Isso porque a multa para a empresa que descumprir a determinação da Anatel é de R$ 200 mil por dia. Inconformada com as restrições, a TIM entrou com recurso na Justiça, mas teve o pedido de liminar negado. A pressão a favor da companhia atravessou fronteiras. Preocupado com a desvalorização das ações da operadora, da qual é controlador, o governo italiano cobrou explicações ao Brasil)

- Valor Econômico: Greve já afeta os portos do país
(A greve dos funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a operação-padrão da Receita Federal já afetaram o movimento nos principais portos do país. No porto do Rio, o trânsito de navios de carga caiu 50%. Em Vitória, no Espírito Santo, 11 embarcações, o dobro do número normal, esperavam ontem para atracar. Em Santos, 83 navios estavam na fila para entrar no porto, situação considerada normal para períodos de forte embarque de safra, como o atual. O ritmo de concessões de autorizações, contudo, caiu de uma média diária de 25 para 10, indicando problemas para os próximos dias)

- Estado de Minas: Segurança clandestina
(Diante das limitações ou da ineficiência do poder público, cada vez mais moradores apelam para a proteção privada. Mas poucos sabem que ela é, em grande parte, irregular. De acordo com a lei, este tipo de serviço só pode ser prestado dos muros das casas e condomínios para dentro. Nos bairros de BH, o que se vê, porém, são guaritas nas calçadas, ruas tomadas por cones e cancelas e patrulheiros motorizados. A estimativa do Sindicato das Empresas de Segurança e Vigilância (Sindesp-MG) é de que haja no estado 28 mil profissionais habilitados e pelo menos 60 mil irregulares, 70% de todos eles na capital)

- Zero Hora: Piratini não renovará pedágios e empresas (Rio Grande do Sul)
(Com o fim dos contratos, que deve ser oficializado hoje, governo assume estradas a partir de março. Se estatal não ficar pronta a tempo, cancelas podem ser levantadas)

Comente!

Mais lidos da semana

Siga este blog

Arquivo

Tecnologia do Blogger.

- Copyright © 2013 Rodrigo Medeiros -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan | Distributed by Rocking Templates -